Relator do marco do saneamento básico vai apresentar novo texto no dia 29

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Votação da proposta na comissão está prevista para dia 30; 12 entidades soltaram nota apoiando texto alternativo ao do relator

Reunião na Comissão do marco legal do saneamento, na Câmara (23/10/2019) – Foto: Luís Macedo/Câmara dos Deputados

O relator da comissão especial que atualiza o marco legal do saneamento básico, deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), vai apresentar na próxima terça-feira (29) um novo parecer ao Projeto de Lei 3261/19, do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). O acordo entre os membros da comissão é votar a proposta no dia 30.
 
A versão anterior do parecer, apresentada no dia 9, é alvo de críticas não apenas de deputados da oposição, mas também de prefeitos e empresas estaduais e municipais de saneamento, que defendem texto alternativo apresentado em Voto em Separado pelo deputado Fernando Monteiro (PP-PE). E não conseguiu ser aprovada durante a reunião da Comissão do último dia 23.
 
O relatório de Zuliani trará insegurança jurídica e a desestruturação do setor de saneamento básico, “ao eliminar a possibilidade de formalização de contratos de programa”, alerta nota divulgada na quarta-feira (23), assinada por 12 entidades, entre elas a Federação Interestadual dos Sindicatos de Engenheiros (Fisenge), o Observatório dos Direitos à Água e ao Saneamento (Ondas), a Frente Nacional de Prefeitos, a Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento e a Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento. 
 
Os chamados “contratos de programa” permitem aos municípios transferir a titularidade dos serviços de saneamento para empresas públicas estaduais de água e esgoto, garantindo subsídio cruzado no atendimento a áreas mais pobres do estado. O parecer de Zuliani prevê que os atuais contratos poderão ser mantidos até o prazo final, mas depois os entes da federação precisariam realizar licitação com a participação também de empresas privadas para a recontratação dos serviços. Ou seja, promove a privatização do setor e fragiliza a sustentabilidade econômica dos investimentos para  universalização do serviço.
 
Por isso, a nota das entidades declara apoio ao Voto em Separado apresentado pelo deputado Fernando Monteiro na Comissão Especial, “na medida em que abre possibilidades de alcançar a universalização do acesso aos serviços de saneamento básico”.
 
Aumento de tarifas
Na avaliação do deputado Glauber Braga (Psol-RJ), caso a privatização ocorra, as empresas privadas vão procurar os bancos públicos para financiar as suas ações e vão aumentar as tarifas. Para ele, os bancos públicos devem financiar as empresas estatais para promover a universalização dos serviços básicos.
 
“Sou de uma cidade que entregou o serviço de água e esgoto para uma multinacional, e o resultado foram as maiores manifestações populares da história do município, com o preço da conta de água indo para as alturas, as pessoas não tendo condições de pagar”, disse Glauber. “Não é à toa que, no mundo inteiro, há um processo de reestatização, como vem acontecendo em vários países da Europa.”
 
Os prefeitos e empresas estatais de saneamento rejeitam a privatização e apoiam o voto em separado apresentado pelo deputado Fernando Monteiro. Diversos deputados da comissão especial que analisa o marco do saneamento também manifestaram apoio a essa proposta alternativa. “O meu texto prevê que a empresa, caso queira renovar o contrato de programa, demonstre a capacidade financeira a cada quatro anos. Se ela não demonstrar, ela não renova”, explicou Fernando Monteiro.
 
Para o deputado Marcelo Nilo (PSB-BA), a proposta atende aos interesses dos empresários privados. Segundo ele, empresas privadas de saneamento vão ficar com o “filé” do saneamento; e as empresas estatais, com o “osso”.
A discussão sobre o marco legal do saneamento básico continua na próxima quarta-feira (30).
 
Confira no link, a nota de apoio ao Voto em Separado do deputado Fernando Monteiro, assinada por 12 entidades que defendem o saneamento público e a universalização dos serviços –
https://ondasbrasil.org/pl-3261-19-entidades-declaram-apoio-ao-voto-em-separado-do-deputado-fernando-monteiro/
 
 
Fonte: Edição Senge RJ, com informações do Ondas e da Agência Câmara (Lara Haje/Pierre Triboli)