.:. Informativo nº 57 :: 20 de Março / 2014 .:.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

 


.:. Informativo nº 57 :: 20 de Março / 2014 .:.

 

Confetu substitui ramo 14 da CUT

 

A Confederação dos Técnicos e Trabalhadores Universitários (Confetu) já é um ramo da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Isso porque foi oficialmente, no dia 11/3, substituído o ramo 14 pela Confetu. O presidente da Confederação e secretário-geral da Fisenge, Clovis Nascimento comemora a conquista. “Certamente, esta é uma vitória. A Confetu representa mais um instrumento de fortalecimento da nossa central sindical e de luta dos trabalhadores e das trabalhadoras”, disse Clovis. A Confetu surge num momento de concertação entre os sindicatos de categorias com formação técnica na base Cutista. “Não queremos repetir as confederações oficiais desse país. Queremos influir politicamente nas negociações coletivas e debates nacionais”, afirmou Clovis. A Confetu agrega a Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) e a Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA).

 

Composição da Confetu:

Presidência: Clovis Nascimento

Secretaria Geral:Eduardo Bimbi

Secretaria de Relações do Trabalho: Ulisses Kaniak

Secretaria Nacional de Política Sindical: Olímpio Santos

Secretaria de Administração e Finanças: Jeferson Salazar

Secretaria de Comunicação: Valeska Peres

 

 


 

Fisenge apoia luta do Movimento dos Atingidos por Barragens

 

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) está mobilizando para a semana de luta dos atingidos. Isso porque no dia 14/3 foi o dia de luta nacional e internacional. A Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) apoia esta luta legítima e está comprometida com a construção de um modelo energético voltado para os interesses dos trabalhadores e das trabalhadoras. “Não é justo privatizar e deixar sob controle das empresas e dos acionistas privados o valor que nós produzimos! Os rios, o petróleo, o carvão são bens naturais do povo brasileiro”, afirma o documento. A Fisenge, ao lado do MAB, faz parte da Plataforma Operária Camponesa pela Energia.

Leia a carta completa AQUI


Fisenge se reúne com Dieese no Rio de Janeiro

 

Aconteceu, na tarde de sexta-feira (14/3), uma reunião entre a Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) com o Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese) sobre o 10º Congresso Nacional de Sindicatos de Engenheiros (Consenge). Além da confirmação do nome de Luiz Dulci para a palestra magna, também foram apontados nomes para as demais palestras sobre “O Papel do Estado Brasileiro no Desenvolvimento Nacional” e “O Papel do Movimento Sindical Frente às Modificações do Mundo do Trabalho”. Outro ponto da reunião foi a elaboração do documento base para debates nos estados, elaborado pelo Dieese com a contribuição dos diretores da Fisenge e dos sindicatos. O 10º Consenge acontecerá na cidade de Búzios (RJ), entre os dias 27 e 30 de agosto deste ano.


Coletivo de Mulheres da Fisenge lança tirinha sobre desigualdade salarial entre homens e mulheres

 

A discriminação não tem tempo, nem hora. E foi ainda na faculdade, que as engenheiras Eugênia e Ruth se depararam com o machismo. Elas conseguiram uma vaga no mesmo estágio de topografia e a diferença apareceu no salário das duas comparado a de um colega homem. Foi nesse momento que as duas iniciaram a militância por igualdade de direitos e oportunidades.Os quadrinhos têm periodicidade mensal. Contribua você também e ajude a divulgar! As contribuições poderão ser enviadas diretamente para o e-mail da engenheira Eugênia: [email protected] ou para [email protected]


Senge-MG: Apoiadores lançam candidatura de Raul Otávio a Conselheiro Federal por Minas Gerais

 

A candidatura do presidente do Senge-MG, Raul Otávio da Silva Pereira, a conselheiro federal por Minas Gerais na modalidade Engenharia Elétrica, no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), foi lançada no dia 13 de março, na Choperia Santa Tereza, com a presença de mais de trezentos apoiadores. O evento contou com a participação do presidente do Crea-MG, Jobson Andrade, do presidente da Funasa, Gilson Queiroz, do vereador e diretor do Sindicato de Engenheiros, Tarcísio Caixeta, do diretor da Federação de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge), Fernando Jogaib, de diretores e diretoras do Senge-MG, além de diretores, coordenadores regionais, conselheiros e inspetores do Crea-MG e representantes de diversas entidades do Sistema Confea/Creas em Minas Gerais.

Raul Otávio disse que, juntamente com o seu suplente João José Magalhães Soares, tem o compromisso de representar todos os engenheiros de Minas Gerais e não apenas os engenheiros eletricistas. “Todo candidato tem que fazer uma promessa. A única que eu faço é que, se formos eleitos, nosso mandato será totalmente transparente e participativo”, afirmou Raul Otavio. João José listou algumas prioridades se forem eleitos. “Os pontos principais são a valorização da Engenharia e dos objetivos principais da Engenharia. Vamos desenhar juntos um Confea diferente com tudo aquilo que nós queremos.” O vereador e diretor do Senge-MG, Tarcísio Caixeta, disse que os candidatos e os engenheiros têm uma grande responsabilidade de, juntos, fazerem com que Minas Gerais seja representada com competência e efetividade no Confea. O Presidente do Crea-MG, Jobson Andrade, lembrou a dedicação dos candidatos na Engenharia, nas instituições em que atuam e afirmou que Raul Otávio e João José são os candidatos dele e terão o seu voto.

Leia mais AQUI


Senge-PR: Sindicatos pedem no TJ depósito judicial dos R$ 10 milhões da redução da tarifa do transporte calculada pelo TCE

 

O depósito judicial dos mais de R$ 10 milhões mensais provenientes da redução da tarifa do transporte, segundo cálculo do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR), é uma das defesas dos cinco sindicatos que ingressaram com pedido de amicus curiae no TJ-PR, nesta sexta-feira (14). As entidades requerem a participação no Mandado de Segurança, ingressado pelas empresas que operam o transporte coletivo de Curitiba, que pediu a anulação da medida cautelar do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) obrigando a redução da tarifa técnica em R$ 0,43. O pedido de amicus curiae é assinado pelo Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge-PR), o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), a APUFPR – Seção Sindical do ANDES-SN, o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários, Financiários e Empresas do Ramo Financeiro de Curitiba e Região (Bancários de Curitiba) e Sindicato dos Trabalhadores em Urbanização do Estado do Paraná (Sindiurbano). O amicus curiae é uma medida que permite às entidades a manifestação formal no processo, fazendo sustentação oral e apresentando memoriais.

Leia mais AQUI


Senge-RJ: Contrato de concessão favorece empresas de ônibus

Há um mês, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) autorizou o aumento da tarifa dos ônibus em 9,1%. O valor, que antes era de R$ 2,75, passou a custar R$ 3,00 no dia 8 de fevereiro. O decreto foi assinado após o Tribunal de Contas do Município (TCM) alegar não ter competência para decidir. No estudo sobre a revisão tarifária de 2012, o mesmo órgão identificou “diversas impropriedades na forma como foram procedidos os reajustes nos preços das passagens, desde uso incorreto e erros nas fórmulas, bem como índices e valores fornecidos ou criados pelos próprios interessados no aumento das tarifas”.

Para o diretor do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ), Jorge Saraiva, o fundamental é mudar a cláusula no contrato de concessão sobre o reajuste na tarifa. Ele afirma que para o cálculo das tarifas, previstos no contrato, é considerada a variação do custo do óleo diesel, dos pneus, dos ônibus, do valor da mão de obra e outras despesas. No entanto, não considera as quantidades destes itens. Medidas de reestruturação, como BRT e BRS, que implicam na redução do número de veículos, mão de obra e combustíveis, não são levadas em consideração. Também foram desconsiderados incentivos fiscais como: a redução de 2% para 0,01% do ISS das empresas, em 2010, no âmbito do governo municipal; o desconto de 50% no IPVA para ônibus e micro-ônibus destinados ao transporte de passageiros, assinado em janeiro deste ano pelo governo do estado; e que o governo federal zerou a PIS/COFINS, em setembro de 2013, com o objetivo de redução da tarifa, sendo que este imposto representa de 3,5% a 4% do custo tarifário.

Leia mais AQUI


Senge-BA realiza o II Congresso Estadual de Engenheiros e Engenheiras

O Sindicato dos Engenheiros da Bahia (Senge-BA) estará realizando o II Congresso Estadual de Engenheiros e Engenheiras – Engenheiro Orlando Miranda, nos dias 11, 12 e 13 de abril, que terá como objetivo discutir e aprovar as diretrizes de atuação da nossa entidade. Serão eleitos 14 delegados para o X Consenge que ocorrerá no período de 27 à 30 de agosto de 2014, em Búzios, no Rio de Janeiro.Também serão indicados no máximo 06 (seis) representantes de estudantes, sendo que nenhuma instituição de ensino poderá ter mais de 02 (dois) representantes. Apenas poderá ser eleito delegado profissional ou representante estudantil, o profissional que se inscreveu, compareceu e assinou a folha de frequência em 100 % das atividades do II Congresso Estadual de Engenharia da Bahia.


50 anos do Comício de Jango: pelas reformas de base no país


Crédito: Fernando Frazão/ABr

13 de março de 1964. O então presidente João Goulart (Jango) chegou ao comício na Central da Brasil, às 19h44, quando começou a discursar para milhares de pessoas. Com o objetivo de refletir e afirmar as necessárias reformas de base no país, centrais sindicais, partidos políticos, estudantes, entidades de classe e movimentos sociais realizaram um ato na Central do Brasil, no Rio de Janeiro com o mote “Lembrar é resistir”, em lembrança aos 50 anos do Comício. “Nós encontramos o Brasil nas mesmas condições, 50 anos depois, precisando reformar o Estado para que possamos avançar nas áreas social, econômica e política”, afirmou o filho de Jango, João Vicente Goulart, que tinha sete anos de idade na época.

O comício de Jango reafirmou seu compromisso com as causas populares e sociais. O então presidente chegou ao ato, depois de ter assinado, no Palácio Guanabara, dois decretos: o que dava início às expropriações fundiárias e o que permitia a encampação de refinarias.A convocação para o comício trazia as seguintes propostas: a implementação das reformas agrária, bancária, administrativa, universitária e eleitoral.  Em cima do palanque, estavam figuras como o deputado Leonel Brizola e os governadores Miguel Arraes (Pernambuco), João Seixas Dória (Sergipe) e Badger da Silveira (Estado do Rio). Outro ponto do discurso de Jango foi o anúncio da regulamentação dos preços extorsivos de apartamento e residências desocupados.  No dia seguinte, o presidente assinou o decreto estipulando o tabelamento do preço de aluguéis e imóveis em todo o país.

Leia mais AQUI


Rubens Paiva defendeu legalidade do governo Jango no dia do Golpe de 64

 

Nesta terça-feira (18/03), informações colhidas pela Comissão Nacional da Verdade (CNV) que apontam responsáveis pela morte do ex-deputado federal Rubens Paiva, desaparecido desde 1971, serão entregues ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).Paiva era visto como subversivo. O Ex-deputado era declaradamente contra a ditadura desde o início do regime. Na madrugada do dia 1º de abril de 1964 (com o Golpe Militar em andamento desde o dia anterior), Paiva fez um apelo ao vivo pela Rádio Nacional em defesa da legalidade do presidente João Goulart.

Durante a declaração, o deputado criticou abertamente o então governador de São Paulo, Ademar de Barros, um dos apoiadores do Golpe. “Me dirijo especialmente a todos os trabalhadores, todos os estudantes, e a todo o povo de São Paulo tão infelicitado por este governo fascista e golpista que neste momento vem traindo seu mandato e se pondo ao lado das forças da reação”.

Leia mais AQUI


 

Fisenge no Facebook

 

Curta a página da Fisenge no Facebook: www.facebook.com/federacaofisenge