Coletivo de Mulheres da Fisenge lança campanha pelo Outubro Rosa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
#OutubroRosa mês de prevenção ao câncer de mama. Esta campanha é realizada, anualmente, com o objetivo de conscientização para o autoexame e acompanhamento médico. Em tempos de pandemia da Covid-19, o cuidado com a saúde é ainda mais fundamental. De acordo com a engenheira e diretora da mulher da Fisenge, Virginia Brandão, são necessários investimentos públicos no Sistema Único de Saúde (SUS) para dar atendimento para a população que não tem plano de saúde. “As chances de cura do câncer são maiores se diagnosticado precocemente. Hoje, existe uma Lei dos 30 dias que determina que os exames necessários para confirmação da doença sejam realizados em até 30 dias, mas o que vemos atualmente é o desmonte de nosso sistema de saúde pelo governo federal, sem contar a Emenda Constitucional 95 que congelou os gastos na área por 20 anos”, destacou a engenheira que acrescentou: “essa política afeta principalmente as pessoas mais pobres que, muitas vezes, morrem sem acesso ao diagnóstico e ao tratamento”.  Além da arte do Outubro Rosa, o Coletivo de Mulheres da Fisenge também publicará uma história em quadrinhos da Engenheira Eugenia.
A lei dos 30 dias incluiu um parágrafo na já existente Lei nº 12.732/2012 e entrou em vigor em abril deste ano. As mulheres podem realizar o autoexame e aquelas com idade entre 50 e 69 anos e em casos de suspeita ou histórico de câncer em outras faixas etárias devem realizar a mamografia a cada dois anos, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). A mamografia é um exame de raio-x, em que a mama é comprimida. Pacientes com câncer são considerados grupo de risco para Covid-19 e, portanto, impossibilitados de realizarem trabalho presencial. Se a empresa obrigar o trabalho presencial, procure o seu sindicato ou envie um e-mail para [email protected].