Especialização é voltada para graduados atuantes ou que pretendam atuar nas áreas de Levantamentos Topográficos e Geodésicos

Resultado de imagem para ufpr

O Departamento de Geomática da Universidade Federal do Paraná (UFPR) abriu pré-inscrições para o curso de Especialização em Geotecnologias com ênfase no Georreferenciamento. Com carga horária de 460 horas-aula e início previsto para outubro, a especialização é voltada para graduados atuantes ou que pretendam atuar nas áreas de Levantamentos Topográficos e Geodésicos.

:: Confira aqui a grade curricular do curso

As aulas devem acontecer quinzenalmente, nas sextas-feiras, das 18h00 às 22h00; e nos sábados, das 08h00 às 12h20 e das 13h30m às 17h50. O curso oferece 30 vagas para os profissionais interessados e 3 vagas gratuitas para servidores da UFPR. Maiores informações podem ser encontradas no site do curso, através deste link.

 

Fonte: Senge-PR

Publicado em Notícias

Dirigentes sindicais se reúnem com reitor da UFPR Ricardo Marcelo Fonseca. Foto: Arquivo Pessoal

Dirigentes sindicais se reúnem com reitor da UFPR Ricardo Marcelo Fonseca. Foto: Arquivo Pessoal

Dia 30 vai ser maior. Essa tem sido a promessa de estudantes, sindicatos e movimentos ligados à educação que pretendem participar de uma nova paralisação contra os cortes de recursos nas universidades e institutos federais brasileiros. A manifestação ganhou importância após ter sido arrancada da fachada do prédio da UFPR, na Praça Santos Andrade, faixa que dizia “Em defesa da educação”. O ato foi promovido por eleitores do atual presidente no último dia 26.

Contra os ataques à educação, seja com o contingenciamento de recursos ou com a tentativa de censurar professores como no projeto “Escola sem partido” que está sendo votado hoje (28) na Assembleia Legislativa do Paraná, centrais sindicais fizeram uma visita ao reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca. Participaram do encontro ainda as federações e representantes de entidades que não são filiados a nenhuma central. O Senge-PR, que desenvolve o programa Senge Jovem com o intuito de aproximar os estudantes do mundo do trabalho, foi representado pelo presidente Carlos Bittencourt.

“Basicamente viemos, junto com o Fórum da Liberdade Sindical do Ministério Público do Trabalho, trazer nossa mensagem de solidariedade ao reitor e a UFPR. Também nos colocamos contra os cortes de verbas do governo Bolsonaro em todas as universidades. Os sindicatos também declaram apoio ao movimento do dia 30 de maio”, declara Bittencourt.

Recentemente, os três senadores eleitos pelo Paraná, Álvaro Dias, Flávio Arns e Oriovisto Guimarães manifestaram seu apoio às universidades públicas após participarem de uma reunião com os reitores da UFPR, UTFPR, UNILA e IFPR.

De acordo com a assessoria da UFPR, o coordenador de articulação da bancada parlamentar federal, Deputado Toninho Wandscheer, comunicou que a totalidade dos deputados federais paranaenses também se posiciona favorável às instituições e contra os cortes.

O reitor da UFPR celebra o apoio em defesa da educação e critica os manifestantes que retiram faixa da Santos Andrade, como registra o Blog do Sakamoto: “Sequer havia nela logo sindical ou de qualquer menção a algum movimento político ou social. O que indica que era a própria defesa da educação, em si mesma, que estava sendo questionada raivosamente”, comentou.

Cortes
Os cortes previstos pelo Ministério da Educação atingem a UFPR, o IFPR, a Unila e a UTFPR. De acordo com a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), a região de Foz do Iguaçu está perdendo R$ 14,2 milhões. O bloqueio na UFPR foi de R$ 48 milhões de créditos orçamentários previstos para 2019. A UTFPR perdeu R$ 37 milhões da verba de custeio e o IFPR chegou a R$ 20,8 milhões.

 
Fonte: Senge-PR
Publicado em Notícias

O Brasil tem vivenciado um momento de grandes incertezas com relação a gestão de seus recursos naturais. Desde a privatização dos campos do pré-sal, dos leilões de petróleo, até a possibilidade cada vez maior de exploração desordenada de nossas riquezas naturais como florestas e minérios. O governo de Jair Bolsonaro (PSL) não esconde a pretensão de flexibilizar a fiscalização do uso dessas riquezas.

Essas incertezas se ampliam quando o ministro da Economia Paulo Guedes afirma que quer vender tudo. “O presidente ganhou a eleição dizendo “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” e o Paulo Guedes dizendo que vai privatizar. Foi essa agenda que ganhou a eleição”, disse Guedes em 10 de março.

Por outro lado, o quadro segue indenido quando o presidente não deixa claro que política ele vai adotar para a Petrobras e outras areas: se adota o mercado livre ou o intervencionismo econômico. A postura ambigua fez a Bolsa de Valores cair para 90 mil pontos e o dólar disparar na última sexta-feira (17). Cenário que prossegue nessa semana.

“O pessoal reclama do preço da gasolina, R$ 5. E me culpam, atiram para cima de mim o tempo todo. Olha, o preço do combustível é feito lá pela Petrobras, que tem a sua política de preços. Leva-se em conta o preço do barril de petróleo lá fora, bem como a variação do dólar”, comenta o presidente.

É diante desse cenário que a Sociedade Brasileiro de Geologia, o Grupo PET-Geologia e o Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (SengePR) promovem debate a respeito do “Uso dos Recursos naturais do Brasil: história, soberania e desenvolvimento”.

O encontro reúne três renomados especialistas para debater quais são os rumos do país nessa área. São eles a economista Ceci Juruá, que tem artigos e documentos técnicos publicados em revistas técnicas e jornais e realiza periodicamente palestras e conferências sobre a conjuntura econômica, e política brasileira e outros temas de sua especialidade, o engenheiro Saturnino Braga, que foi senador pelo Rio de Janeiro em 1975-1985 e 1999-2007, e Guilherme Estrella, que ficou conhecido nacionalmente como o “pai do pré-sal”.

O evento está marcado para o dia 21 de maio, às 19 horas, no Teatro da Reitoria. A entrada é franca.

Debate na UFPR discute os rumos dos recursos naturais do Brasil

 
Publicado em Notícias

Os estudantes foram recebidos pelo presidente do Sindicato, Carlos Roberto Bittencourt.

IMG_0001

Na noite da última terça-feira (12), os estudantes do primeiro ano de Agronomia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) visitaram a sede do Sindicato dos Engenheiros do Paraná. Os 33 calouros foram recebidos pelo presidente do Sindicato, Carlos Robert Bittencourt, que ministrou uma palestra sobre a história, estrutura e função do Senge-PR, as conquistas históricas da entidade, além de apresentar o Senge Jovem Paraná, braço universitário do Senge que busca aproximar futuros profissionais da vida sindical.

 
Fonte: Senge-PR

 

Publicado em Notícias