Senge-PR Jovem presente no encontro nacional de engenharia em Florianópolis

Integrantes do Senge Jovem do Paraná participam em Florianópolis (SC) do 13.º Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social (Eneds). A edição deste ano do evento, que reúne estudantes e profissionais de todo o país, é promovido pela UFSC e pela empresa júnior de engenharia Serviço Modelo de Engenharia e Tecnologia (Semente).

Segundo os organizadores do evento, o objetivo do Eneds é abrir espaço para a reflexão, sobretudo na área de engenharia, para discutir caminhos e possibilidades de desenvolvimento social de caráter popular, solidário e emancipador.

Sob o tema “Quem faz a tecnologia?”, o encontro, promovido entre os dias 16 e 19 de agosto, busca debater a política tecnológica brasileira e latinoamericana, matriz energética e desenvolvimento sustentável.

O evento conta com palestras sobre vários temas da engenharia e inovação tecnológica voltada para o desenvolvimento social, bem como apresentação de trabalhos acadêmicos.

Esta é a primeira vez que o encontro é sediado no sul do país. A primeira edição do evento foi em 2004, no Rio de Janeiro, sob o título Encontro de Engenharia e Desenvolvimento Social (EEDS).

Participam do evento representando o Senge Jovem integrantes do programa do Sindicato nas regionais de Ponta Grossa, Londrina, Maringá e Curitiba.

Fonte: Senge-PR

Publicado em Notícias

Senge-MG: Ereds discutiu as amarras sociais e econômicas da tecnologia e da engenharia

Com o objetivo de promover o debate acadêmico e profissional sobre as aplicações dos conhecimentos da engenharia em benefício da sociedade, foi realizado, entre os dias 3 e 4 de junho, o Encontro Regional de Engenharia e Desenvolvimento Social / Sudeste 2016 (Ereds-SE), na Faculdade de Engenharia da UFMG. O evento teve como tema “As amarras sociais e econômicas da tecnologia e da engenharia” e foi organizado pelo Senge Jovem, Crea-Minas Júnior Núcleo Belo Horizonte, Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares “Alternativas de Produção” e pela Liga Sustentar. O Senge Jovem montou um estande no evento e distribuiu material informativo para os estudantes.

No primeiro dia do evento foram realizadas duas mesas. Sendo que a primeira foi “Engenharia, gestão e economia: capital financeiro e grande sobras de engenharia” e a segunda teve como tema “Engenharia e desenvolvimento social: a prática da engenharia e os movimentos sociais”. Ao final do dia, os inscritos puderam apresentar seus projetos no “Compartilhamento de Experiências”.

No dia 4 de junho foi realizada a mesa “A formação da Engenharia e o desenvolvimento social: engenharia para que e para quem?”, além de visitas técnicas no Espaço Comun Luiz Estrela e na Cooperativa de reciclagem Coopesol Leste.

Ereds
O Ereds é um evento de âmbito regional dedicado a conscientização acadêmica e profissional para o desenvolvimento social que objetiva ampliar o leque de reflexão e atuação das engenharias e outras áreas das ciências exatas a partir do debate sobre desenvolvimento regional com especificidade em problemáticas sociais e ambientais. Além disso, visa proporcionar intercâmbio entre as Universidades e os diferentes atores e grupos sociais locais que estão desenvolvendo tecnologias sociais na região sudeste. O Encontro antecede o Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social (Eneds), com o objetivo de dar força e capilaridade aos debates. Veja mais fotos

Fonte: Senge-MG

Publicado em Notícias

Encontro realizado no Senge-MG marca início da organização do EREDS 2016

Representantes do Senge Jovem Minas Gerais, do Crea-Minas Jr Núcleo Belo Horizonte e da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares “Alternativas de Produção” se reuniram na sede do Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais (Senge-MG), na terça-feira, 1º de março, para iniciar a organização do Encontro Regional de Engenharia e Desenvolvimento Social (EREDS) 2016, que acontecerá na capital mineira, de 2 a 4 de junho.

O evento tem como público alvo estudantes de graduação de diversas áreas, alunos de pós-graduação, professores, profissionais em geral, empreendedores, comunidade e demais interessados e engloba toda a Região Sudeste do país (Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo).

ENEDS

O Encontro Regional de Engenharia e Desenvolvimento Social (EREDS) acontece desde 2011 e é um desdobramento do ENEDS - Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social, que é um evento que se propõe a pautar a Engenharia e a formação dos estudantes através de uma ampla discussão sobre o papel da Engenharia no desenvolvimento de uma sociedade mais justa e igualitária. O evento busca evidenciar a relação da Engenharia, em todas as suas áreas de atuação, com o desenvolvimento social, fazendo conexões entre universidade, movimentos sociais e poder público. Em 2015, o XII ENEDS foi realizado entre 12 e 15 de agosto, em Salvador.

Fonte: Senge-MG

Publicado em Notícias

Do ENEDS ao Fórum Social Mundial: ergue-se a bandeira por uma engenharia popular e solidária

Por Clécio Santos*

Quando um grupo de estudantes e professores da UFRJ decidiu realizar um Encontro de Engenharia e Desenvolvimento Social, em 2004, talvez não tenham imaginado que aquele encontro acadêmico se tornaria nacional no ano seguinte, ganharia edições regionais a partir de 2011, chegaria à sua décima segunda edição nacional em 2015, realizada em Salvador-BA, com cerca de 700 participantes, maior público do evento até hoje, e teria como fruto do acúmulo de seus debates e de sua mobilização a realização de um debate sobre a engenharia popular e solidária que queremos durante o Fórum Social Mundial (FSM), realizado em Porto Alegre, de 19 a 23 de janeiro de 2016.

O debate, realizado no Centro Municipal de Formações de Trabalhadores Paulo Freire (CMET Paulo Freire), na sala 7, no dia 22, às 10h45, foi organizado em conjunto pela comissão organizadora do III Encontro Regional de Engenharia e Desenvolvimento Social do Sul - EREDS SUL, que acontecerá em meados de maio deste ano, na cidade de Santa Maria-RS, e pelo Senge Estudante Bahia, organização de estudantes vinculada ao Sindicato dos Engenheiros da Bahia (Senge BA), o qual apoiou diretamente a organização do III EREDS Nordeste e do XII ENEDS. Estiveram presentes no debate 43 participantes, em sua maioria estudantes e profissionais de engenharia, mas também profissionais da educação e estudantes de cursos de ciências humanas e sociais.

Do ENEDS ao Fórum Social Mundial: ergue-se a bandeira por uma engenharia popular e solidária

Ao longo de mais de duas horas, foram discutidas questões relacionadas à formação universitária em engenharia, ao exercício profissional da engenharia e à luta política necessária para que a engenharia esteja a serviço da construção de outro mundo possível, como conclamou o tema do FSM. Entre os temas discutidos, estiveram: interdisciplinaridade acadêmica, extensão universitária, tecnologias livres, autogestão e economia solidária, saneamento, direito à cidade, educação popular, agroecologia, racismo e machismo nos cursos de engenharia, ambiente profissional, sindicalismo, defesa da democracia e do interesse público, Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá (REPOS), entre outros.

Como saldo deste debate dentro do FSM, além do estabelecimento de contatos entre estudantes e profissionais que já lutam em diversas das frentes discutidas, a exemplo da articulação entre estudantes de engenharia sanitária e ambiental e engenheiros que trabalham com saneamento, temos o aumento de visibilidade da bandeira por uma engenharia popular e solidária, onde bandeira ganha sentido literal ao ser confeccionada pela primeira vez durante o fórum. Da mesma forma, ao longo dos cinco dias do FSM, camisas estampando a frase “Por uma engenharia popular e solidária!” foram usadas por dezenas e vistas por centenas, dizendo ao conjunto dos movimentos sociais presentes que também na engenharia tem gente lutando para a superação do capitalismo, do racismo, do patriarcado e do colonialismo.

*Estudante de Engenharia da Computação (UFBA) e Coordenador do Senge Estudante Bahia

Do ENEDS ao Fórum Social Mundial: ergue-se a bandeira por uma engenharia popular e solidária

Fonte: Senge-BA

Publicado em Notícias

A reflexão sobre a não neutralidade da ciência e tecnologia norteia os debates do XII Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social – Eneds. Com a frase-tema “Por trás de cada tecnologia, há sempre uma ideologia”, o evento questiona a que modelo de desenvolvimento os projetos científicos e tecnológicos estão à serviço. O evento foi realizado na Faculdade de Arquitetura da Ufba e aconteceu de 12 a 15 de agosto.

Professora do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental, a engenheira sanitarista Patrícia Borja, ressaltou a importância do tema no contexto em que diversas políticas públicas, como a de Mobilidade Urbana, estão impactando as cidades. “Toda tecnologia tem uma ideologia a serviço de um modelo de desenvolvimento. Existem projetos que buscam se contrapor aos modelos hegemônicos regidos pelo interesse exclusivo do capital. São iniciativas que mobilizam esforços em busca de equidade social e do baixo impacto ambiental”, explica. A engenheira citou como exemplo o agronegócio que é voltado para a geração de lucro através exportação de commodities, em contraposição ao modelo da agrotecnologia, que busca baixo impacto ambiental e nas convivências com as comunidades rurais.

“A proposta é repensar a engenharia para que ela esteja a serviço de uma sociedade mais justa. Então questionamos quais valores estão sendo incorporados e transferidos no projeto pedagógico das universidades”, diz a aluna de engenharia elétrica da Ufba, Maria Paula, uma das organizadoras do evento.

De acordo com a diretora da Escola Politécnica da Ufba, a engenheira civil Tatiana Dumêt, a faculdade está buscando ir além de eventos pontuais e institucionalizar projetos que buscam melhorar as condições de vida das comunidades do entorno. “Iniciamos a criação de grupos de trabalho na área de mobilidade (melhoria do transporte para os alunos através do BusUfba), eficiência energética (como efetuar internamente na própria univeridade) e projetos de extensão nas áreas de saneamento e mobilidade, junto às comunidades dos bairros do Garcia e Federação”, diz. A diretora destacou ainda o projeto de Engenharia Pública desenvolvido junto ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – Crea BA e a Prefeitura Municipal, que busca viabilizar escritórios de engenharia para a população de baixa renda.

O Evento – O ENEDS se propõe uma ampla discussão sobre o papel da engenharia no desenvolvimento de uma sociedade mais justa e igualitária. O evento busca evidenciar a relação da engenharia, em todas as suas áreas de atuação, com o desenvolvimento social, fazendo conexões entre universidade, movimentos sociais e poder público.

A iniciativa reúne estudantes de graduação das Engenharias e áreas afins, professores, pesquisadores, gestores públicos, empreendedores solidários, movimentos sociais, entidades da sociedade civil, políticos e membros do Estado no esforço de questionar as bases científicas do modelo de desenvolvimento atual que influem diretamente nas pesquisas e na formação em engenharia nas Universidades e centros de pesquisa do país.

Senge-BA: Estudantes e professores questionam a não neutralidade científica no XII Eneds

Fonte: Senge-BA

Publicado em Notícias

Salvador receberá XII Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social

Estão abertas as inscrições do XII Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social – Eneds, que acontece nos dias 12 a 15/08/2015, na Faculdade de Arquitetura da Ufba, em Salvador-BA. As inscrições são gratuitas, sendo apenas solicitada a doação de 1kg de alimento não-perecível.

O evento terá como temática central a não neutralidade da ciência e da tecnologia, representada na seguinte frase-tema: “Por trás de cada tecnologia, há sempre uma ideologia”. A partir dessa concepção, o XII Eneds discutirá os valores que são incorporados no atual modelo de desenvolvimento tecnológico e as necessárias transformações no tripé universitário (ensino, pesquisa e extensão) para a formação de engenheiros e engenheiras que desenvolvam tecnologias que incorporem outros valores, fundados na solidariedade, na ecologia e no desenvolvimento social justo e igualitário.

A programação do Encontro conta com uma palestra de abertura, três mesas redondas, uma seção de apresentação de artigos, um turno para minicursos, oficinas e rodas de diálogo, uma plenária final e eventos culturais. A palestra de abertura abordará o tema central, “Não-neutralidade da tecnologia”. Para os debates, a mesa 1 abordará “Engenharia e Autogestão”, que discutirá uma forma de organização do trabalho alternativa à relação desigual entre patrão e empregado. A mesa 2 trará o tema “O sistema energético e a construção de uma nação justa, soberana e sustentável”, com o objetivo de repensar o modelo de desenvolvimento energético do Brasil. Por fim, a mesa 3, com a temática “Racismo, machismo e LGBTfobia na engenharia”, problematizando as opressões sociais dentro do ambiente universitário e profissional da Engenharia.

O Evento – O ENEDS se propõe uma ampla discussão sobre o papel da engenharia no desenvolvimento de uma sociedade mais justa e igualitária. O evento busca evidenciar a relação da engenharia, em todas as suas áreas de atuação, com o desenvolvimento social, fazendo conexões entre universidade, movimentos sociais e poder público.

A iniciativa reúne estudantes de graduação das Engenharias e áreas afins, professores, pesquisadores, gestores públicos, empreendedores solidários, movimentos sociais, entidades da sociedade civil, políticos e membros do Estado no esforço de questionar as bases científicas do modelo de desenvolvimento atual que influem diretamente nas pesquisas e na formação em engenharia nas Universidades e centros de pesquisa do país.

Desde sua criação, em 2004, o evento traz várias pautas para problematização da academia e exemplos de projetos bem sucedidos na área de tecnologias sociais de baixo custo e impacto ambiental, economia solidária, organização de trabalhadores de forma associativa ou cooperada exercendo a democracia, diferentes formas de geração de trabalho e renda, economia social, políticas sociais e públicas, metodologias participativas e desenvolvimento local.

Saiba mais e inscreva-se AQUI.

Publicado em Notícias