Senge-BA: Fortalecimento Político para mulheres foi tema de Seminário Estadual

A Secretaria de Mulheres da CUT Bahia realizou neste sábado (01), no auditório do Sindiquimica, o Seminário Estadual de Fortalecimento Político para Mulheres. O objetivo do encontro foi discutir Políticas Públicas para garantir e ampliar direitos, promover a igualdade, autonomia e poder para as mulheres na família, no mercado de trabalho, no movimento sindical, na vida. Dentre os diversos temas tratados, receberam destaque a questão de gênero na Previdência Social e as Políticas Públicas para fortalecimento, ou não, de um projeto que busca igualdade de oportunidade para as mulheres negras e pobres, a fração mais explorada da sociedade.

Para Júlia Garcia, do Coletivo de Mulheres do Senge-BA e militante da Marcha Mundial das Mulheres, as políticas públicas demonstram que tipo de política está sendo implementada no país quando recursos públicos são utilizados em ações para causar efeitos sociais. A redução da maioridade penal, o Estatuto do Nascituro, a PL 4330, atual PC 30 – da Terceirização -, o ajuste fiscal sem taxação das grandes fortunas, são exemplos de como as políticas públicas têm sido elaboradas no Brasil, de maneira a favorecer os grandes empresários, os mesmos que financiam campanhas eleitorais, e depois querem a contrapartida.

 

Senge-BA: Fortalecimento Político para mulheres foi tema de Seminário Estadual

Júlia Garcia, militante da Marcha das Mulheres, durante o Seminário.

Júlia apontou como caminho para a mudança nas políticas sociais o aumento da utilização de ferramentas democráticas de consultas ao povo como referendos e plebiscitos, bem como a construção de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político que intervenha na dinâmica de representação do Congresso Nacional.

De acordo com o TSE [2014], as mulheres representam 51,3% da população e 52% do eleitorado nacional. Contudo, na Câmara dos Deputados, a título de exemplo, totalizam apenas 9,9%, sendo somente 0,6% de mulheres negras no montante de cadeiras da legislatura.

Neste sentido, uma das principais sínteses do seminário foi o fortalecimento das mulheres em espaços de auto-organização, como coletivos e núcleos. A proposta é que, uma vez fortalecidos, esses espaços criem instrumentos para maior representação das mulheres negras nos lugares de poder [executiva dos sindicatos e das centrais sindicais, postos de gerência, prefeituras, Câmara dos Deputados, Senado, Presidência da República etc] e assim seja possível aumentar políticas públicas que transformem a vida das mulheres e fortaleçam um projeto feminista e popular.

 

“Mudar a vida das mulheres para mudar o mundo
Mudar o mundo para mudar a vida das mulheres”.

Publicado em Notícias

Jorge Hereda tomou posse como secretário estadual de Desenvolvimento Econômico em cerimônia realizada na manhã desta sexta-feira (22), no auditório da Procuradoria Geral do Estado (PGE), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. A solenidade teve a participação do governador Rui Costa, autoridades e membros da sociedade civil. Hereda foi o escolhido para substituir o interino Paulo Guimarães. Para o novo secretário, um dos principais desafios da pasta no momento é trazer para a Bahia mais investimentos e empregos. "A gente não pode subestimar a situação econômica, mas também não podemos cair na armadilha de achar que não tem mais jeito. Estamos passando por um período de ajuste", afirmou o titular da pasta. "O secretário Hereda não agirá sozinho, agirá juntamente com os outros secretários estaduais. Precisamos alavancar a economia da Bahia. Temos outras grandes obras para desenvolver, o novo centro de convenções, o VLT [veículo leve sobre trilhos], a outra etapa do metrô são alguns exemplos. Estou focado em ampliar a oferta de empregos no estado", disse Rui Costa. Formado em arquitetura na Universidade Federal da Bahia (Ufba), Jorge Hereda tem 58 anos e já foi presidente da Caixa Econômica Federal (CEF).

Publicado em Notícias

Aconteceu, no dia 30/1, a eleição para as coordenadorias de Câmaras Especializadas do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA). A diretora da Fisenge, Silvana Palmeira foi eleita coordenadora da Câmara Especializada de Engenharia Química. "Nossa principal agenda é aproximar e trazer os Profissionais da modalidade da Química para o Crea, conscientizando desde a academia para o fortalecimento do Conselho e da luta pela valorização profissional", disse Silvana.

Diretora da Fisenge é eleita coordenadora de Câmara do Crea-BA

Publicado em Notícias
Página 3 de 3