Sexta, 04 Outubro 2019 12:04

Médico Paulo Saldiva adverte: poluição e desordem urbana afetam a saúde

Ouça a entrevista concedida pelo diretor do Instituto de Estudos Avançados da USP ao programa Bem Viver

 
Saldiva é autor do livro Vida Urbana e Saúde – Os Desafios dos Habitantes das Metrópoles - Créditos: reprodução
Saldiva é autor do livro Vida Urbana e Saúde – Os Desafios dos Habitantes das Metrópoles / reprodução
 

“As artérias estão obstruídas

por trombos metálicos.

Existe uma diarreia aquosa para os rios

Existe um uso de energia perdulária, 

como se fossemos diabéticos 

Não filtramos a água adequadamente, 

temos insuficiência renal

Quando chove, inunda, faz edema

Quando não chove, desidrata 

Temos uma ação de curta duração, 

como um alzheimer

É como se os neurônios dirigentes esquecessem

o que foi feito na administração anterior,

o que foi prometido durante a eleição, 

impedindo ações de longo prazo, 

que possam retomar a cidade 

a um nível de dignidade e equidade 

para todos os seus habitantes”.

O diagnóstico, de aspirações poéticas, é um trecho da entrevista concedida pelo médico patologista Paulo Saldiva ao programa Bem Viver, da Rádio Brasil de Fato.

O professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) traça um paralelo entre problemas tipicamente urbanos e os impactos que eles causam à saúde humana.

Fugindo de jargões da profissão, Paulo Saldiva fala das metrópoles como se fossem um ser vivo, que ao longo da vida foi acumulando doenças e disfunções: “As cidades estão doentes”, adverte.

Para tal diagnóstico, o médico prescreve: ordenar as cidades, a fim de torná-las mais eficientes, com menor nível de poluição, e reduzir as ilhas de calor. 

O custo de fazer isso é menor do que o ganho que você tem, evita o adoecimento, os gastos diretos de saúde e a perda por morte prematura”, orienta.

“Numa cidade, quando você toma decisões sobre quem vai ocupar as ruas? Carros ou transporte coletivo? Vai ser pneu ou vai ser trilho? Que combustível vai ser? Não tem consenso. Então, precisa ser decidido em cima do bem comum e não de falsas informações”, avalia. 

Ele garante: “resolver uma cidade não só é bom do ponto de vista de equidade social, como também do ponto de vista econômico. Então, não tem sentido manter uma cidade como nós temos”.

Saldiva foi membro do comitê que estabeleceu os padrões de qualidade do ar e do comitê que definiu o potencial carcinogênico da poluição atmosférica, ambos da Organização Mundial de Saúde.

Ouça a entrevista completa com o médico patologista Paulo Saldiva. Ele é autor do livro Vida Urbana e Saúde – Os Desafios dos Habitantes das Metrópoles.

Participe do sorteio do livro “ Vida urbana e saúde: Os desafios dos habitantes das Metrópoles” da editora Contexto, do nosso entrevistado Paulo Saldiva. Para participar, envie uma mensagem pelo Whatsapp da Rádio Brasil de Fato (11) 95691-6046 com o seu nome, o lugar onde você mora e a frase: "Quero participar do sorteio" e boa sorte! O resultado será divulgado no dia 9/10 no próximo.

O programa Bem Viver vai ao ar toda quarta-feira, a partir das 9h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM em São Paulo e 102,7 FM no noroeste paulista.

 

Fonte: Brasil de Fato / Katarine Flor / Edição: Michele Carvalho