Sexta, 09 Março 2018 17:07

Na Paraíba, engenheiras debatem violência contra a mulher

No dia internacional da mulher (8/3), o Coletivo de Mulheres do Sindicato dos Engenheiros no Estado da Paraíba (Senge-PB) promoveu um debate sobre violência contra a mulher. Ministrada pela delegada da mulher, Wládia Holanda, a palestra trouxe dados alarmantes. “Na Paraíba, em 2018, 21 mulheres foram assassinadas, estando o nosso estado no ranking da violência. Os índices são assustadores e debates como este provocam a reflexão e contribuem para ações de prevenção e denúncia”, apontou a engenheira e diretora da Fisenge, Giucelia Figueiredo. Dados da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência do Tribunal de Justiça da Paraíba registram 12 mil processos relativos a violência contra a mulher em tramitação. Em entrevista ao "Portal Correio", a delegada enfatizou a importância de não banalizar a violência contra a mulher: “O primeiro passo é a denúncia para romper esse ciclo que também envolve outras pessoas”, afirmou. A engenheira e coordenadora do Coletivo de Mulheres, Virgínia Barroca, alertou que a violência atinge todas as mulheres, independentemente de classe social. “As engenheiras convivem diariamente com assédios, seja em canteiros de obras ou no mercado de trabalho. Muitas mulheres, quando bem-sucedidas, são agredidas pelo próprio companheiro em casa. Levamos o diálogo para que possamos ajudar a diminuir essa incidência da violência”, disse.

Na Paraíba, engenheiras debatem violência contra a mulher