Terça, 18 Novembro 2014 00:00

Diretoras do Senge-PR destacam os desafios pela igualdade de gêneros na engenharia

Mary Stela Bischof e Sandra Lins falaram para mais de 100 estudantes de engenharia, no I Seminário Nacional de Formação Profissional
As diretoras do Senge-PR, engenheiras agrônomas Mary Stela Bischof e Sandra Lins falaram dos desafios pela igualdade de gêneros na engenharia a estudantes de todo o Brasil reunidos no I Seminário Nacional de Formação Profissional, organizado pela Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil (FEAB).

O evento, realizado em Curitiba nos dias 8, 9 e 10 deste mês, reuniu perto de 100 futuros engenheiros de dez estados brasileiros das universidades federais do Paraná (UFPR), de Santa Catarina (UFSC), da Fronteira Sul (UFFS); de Santa Maria (UFSM); do Ceará (UFC); de Pernambuco (UFPE), do Pará (UFPA) e também da UNESP (Botucatu e Jaboticabal).

Na abordagem “ Dificuldade e avanços da engenheira agrônoma e relações de gênero na universidade” Sandra Lins e Mary Stela Bischof trataram da vivência profissional. Ambas são engenheiras agrônomas formadas pela Federal do Paraná num intervalo de 20 anos e hoje atuam na estrutura do Estado. Mary formou-se em 1985 e trabalha na Emater e Sandra, formada em 2005, é dos quadros da Secretaria de Estado do Abastecimento, porém hoje atua na secretaria de Planejamento do Paraná.

Na conversa com os estudantes, as diretoras do Senge-PR relembraram fatos ocorridos em suas carreiras e de amigas próximas. Nessa abordagem evidenciou-se as relações desiguais de gênero, desde a época da formação profissional na universidade e principalmente a atuação no mercado de trabalho (na extensão rural diretamente com agricultores e agricultoras familiares, em cooperativas e ou revendas de insumos ligadas ao agronegócio e nas diversas áreas do serviço público).

Na oportunidade, também foi tratada da atuação em espaços de participação política, no movimento estudantil e nos movimentos sociais e sindical depois de formadas, destacando a ampliação da participação das mulheres em conferências dos diferentes setores.

Os estudantes também tiveram a oportunidade de conhecer as histórias da Engenheira Eugênia, personagem de tirinhas ilustradas produzidas pelo Coletivo de Mulheres da Fisenge (Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros) que retrata situações cotidianas de desrespeito às mulheres.

Na avaliação das engenheiras Mary Stela Bischof e Sandra Lins, no encontro com os estudantes foi possível evidenciar que existem relações desiguais entre homens e mulheres que precisam ser superadas. Que essas relações foram construídas socialmente e portanto modem ser modificadas.

Na palestra sobre gênero feira no I Seminário Nacional de Formação Profissional, as diretoras do Senge-PR aplicaram um questionário (que pode ser respondido ao fim desta reportagem) para provocar o debate. Dados recentes da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS 2012), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego no mês de outubro, apontam que, comparando os anos de 2012 e 2011, o crescimento do emprego de mulheres na engenharia foi maior que o dos homens (9,1% contra 4,8%), mas a participação feminina neste mercado ainda representa apenas 17% do total de engenheiros assalariados e a remuneração delas é, em média, 20% menor que a dos homens.

Se você ainda tem dúvidas sobre os desafios pela igualdade de gêneros, faça o teste a seguir.

1) Compare o nível de escolaridade e o salário/renda dos homens das suas relações pessoais (pais, tios, vizinhos, amigos, etc) com o nível de escolaridade e o salário/renda das mulheres (mães, tias, amigas) e responda:

A realidade que o(a) cerca confirma as estatísticas que apontam que as mulheres, atualmente, tem maior nível de escolaridade, todavia continuam ganhando menos, inclusive para desempenhar trabalhos iguais?

2) Qual o campo de atuação das mulheres da sua relação pessoal?

A sua realidade confirma as estatísticas que dizem que as mulheres ocupam, majoritariamente, no mercado de trabalho funções geralmente menos remunerada, informais e ligadas ao papel social determinado para elas, ou seja funções ligadas ao cuidar e ao servir (saúde, educação, trabalhos domésticos, etc)?

3) As mulheres da sua relação pessoal desempenham um cargo de direção (coordenação, diretoria, gerencia, etc)?

4) As mulheres da sua relação pessoal gastam mais ou menos tempo do que os homens da sua relação com trabalhos domésticos?

5) Você é dono de uma empresa de consultoria na área de agropecuária e tem uma funcionária Engenheira Agrônoma. Ela tem 40 anos, é casada, é mãe de dois filhos, e chama Eugênia. Você também tem um funcionário Engenheiro Agrônomo chamado Eugênio, ele tem 25 anos, é solteiro e não tem filhos. Você tem uma vaga de gerência para ser ocupada e esta vaga exigirá inúmeras viagens. Você promove um concurso interno e o Eugênio e a Eugênia empatam nos testes. Quem você contrata?