Terça, 17 Junho 2014 00:00

Senge-MG: Funcionários rejeitam proposta de PLR da empresa

Os funcionários da Gasmig rejeitaram a proposta de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) da empresa, durante as assembleias realizadas na sede e na unidade da Gasmig em Contagem, no dia 13 de junho. Com a deliberação da assembleia, o Senge-MG vai solicitar nova reunião de negociação com a Gasmig.

Tanto os funcionário da sede como os de Contagem elegeram os membros da comissão de trabalhadores para acompanhar as discussões sobre PLR da empresa. A formação e participação de uma comissão paritária nos casos de PLR são estabelecidas em lei. Segundo o art. 2º da Lei 10.101/2000, “a participação nos lucros ou resultados será objeto de negociação entre a empresa e seus empregados, mediante um dos procedimentos a seguir descritos, escolhidos pelas partes de comum acordo: I - comissão paritária escolhida pelas partes, integrada, também, por um representante indicado pelo sindicato da respectiva categoria”.

Preocupações

Após análise feita por funcionários e pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) dos indicadores, metas e modos de avaliação, algumas questões causaram preocupação às entidades sindicais. A primeira é que a Gasmig informou que não está disposta a discutir e negociar as metas estabelecidas. Para lucro líquido, por exemplo, a empresa definiu como meta R$140 milhões. Este número, de acordo com a empresa, não é negociável. Isso preocupa as entidades, pois pode ser prejudicial aos trabalhadores.

Outro ponto incômodo é no cálculo de desempenho. Segundo a proposta, em alguns indicadores, os trabalhadores que atingirem 100% ou mais das metas, só poderão receber o equivalente aos 100%. Quem ficar na faixa entre 80% e 100% de desempenho recebe o valor que atingir e quem obtiver desempenho entre 70% e 80% terá um desconto de 10 pontos percentuais.