Segunda, 10 Março 2008 00:00

Faleceu Heitor Pereira, presidente da Aepet

Neste domingo, dia 9 de março, o Brasil perdeu um grande engenheiro, defensor incansável da soberania nacional. Heitor Manoel Pereira, presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), morreu aos 83 anos devido a problemas cardíacos, após mais de 50 anos de luta contra a entrega do petróleo brasileiro às multinacionais.

Vale registrar que Heitor Pereira foi um homem com grande visão estratégica no que se refere ao papel dos meios de comunicação para a disputa de hegemonia na sociedade. Além de um jornal impresso mensal, a Aepet mantém um boletim eletrônico diário (Aepet Direto), produz o programa Debate Brasil, transmitido por mais de 60 TVs comunitárias e universitárias do país, e apóia o programa de rádio Faixa Livre, “uma outra visão sobre os fatos sem o controle do poder econômico”(www.programafaixalivre.org.br).

A Fisenge lamenta o falecimento deste brilhante engenheiro que foi Heitor Manoel Pereira.

Leia a seguir artigo de Heitor extraído do livro “Memória dos Trabalhadores – Petrobrás” (Rio de Janeiro, 2003) e reproduzido no Aepet Direto.

CONFRONTO DE TESES

Por Heitor Manoel Pereira

Monteiro Lobato ajudou muito a juventude a pensar no problema do petróleo. E eu li toda a literatura daquela época sobre petróleo. Aí veio a briga entre duas teses no Brasil, porque as grandes companhias de petróleo naquela época eram sete. Chamadas Sete Irmãs. E não interessava a essas companhias que se descobrisse mais petróleo no mundo. Porque o que elas tinham no momento era suficiente. Então, desenvolveram campanha intensa de que no Brasil não tinha petróleo. Aí nessa época a discussão alcançou a área militar. E um general que foi da Coluna Prestes, Juarez Távora, que fez a revolução de 1930, defendeu uma tese de que realmente o Brasil não tinha capacidade nem técnica, nem financeira, nem econômica para desenvolver uma pesquisa de petróleo. Um outro general, que depois foi promovido a marechal, chamado Horta Barbosa, dizia: “O petróleo ou é do Brasil ou é das grandes companhias”. É a chamada Tese de Horta Barbosa, que foi empolgando toda a sociedade. Foi daí que apareceu o movimento “O Petróleo É Nosso”. E nós, como estudantes em Pernambuco, nos engajamos nesse movimento. Foi feita uma campanha nacional como nunca se tinha visto na história do Brasil.

Este artigo foi publicado em 10/03/2008 às 17:02 na seção Notícias.