O diretor do Senge-MG, Alírio Mendes Júnior, proferiu a palestra Senge e a Engenharia do Século XXI, na Unipac, em Conselheiro Lafaiete, no dia 22/06/2017.

Na palestra são abordadas as características e o perfil dos engenheiros na atualidade, além de apresentar o Sindicato de Engenheiros e toda organização do Sistema Crea-MG/Confea, bem como a importância das instituições para os profissionais da Engenharia.

O Senge Jovem também este junto ao alunos da Unipac, divulgando o programa, que tem entre os objetivos debater as tendências da profissão, desenvolver projetos na área da Engenharia, forma lideranças e auxiliar na capacitação técnica dos futuros engenheiros.

Publicado em Notícias

Os engenheiros que trabalham na Infraero se reuniram com a equipe do setor de Negociações Coletivas do Senge-MG, no dia 13 de junho, para conhecerem o trabalho do Sindicato de Engenheiros e discutirem a situação da empresa. A reunião foi solicitada pelos próprios funcionários e foi realizada no auditório da sede da Infraero.

O diretor do Senge-MG, João José Magalhães, explicou e tirou dúvidas de como são feitas as negociações que o Sindicato se envolve. Segundo ele, a participação dos engenheiros é essencial. “Somente com a união de todo mundo que vamos conseguir conquistar alguma coisa.” Essa união, de acordo com o diretor do Senge-MG, se traduz na presença em assembleias e na mobilização de toda a categoria, uma vez que o sindicato tem mais chances de obter sucesso quando há um movimento em massa.

A situação na qual a Infraero se encontra de uma possível privatização, incluindo a venda de partes da empresa e a concessão em blocos de aeroportos, também foi discutida na reunião, bem como a possível transferência dos empregados para outros órgãos.

Na próxima semana, será realizada uma assembleia com os engenheiros da Infraero para deliberar sobre a representatividade do Senge-MG frente a categoria nas negociações com a empresa.

Publicado em Notícias

Depois do sucesso das duas primeiras edições, no Rio de Janeiro e Salvador, que reuniram mais de 300 pessoas, o III Simpósio SOS Brasil Soberano acontecerá em Belo Horizonte, no dia 8 de junho, das 9h às 17h, no auditório Paulo Camillo de Oliveira Penna, do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), na Rua da Bahia, 1600, Centro. Para manter a coerência com as outras edições, o III Simpósio, que seria realizado em dois dias (08/06 e 09/06), com um talk show no dia 07/06, será realizado somente no dia 08 /06.

Com o objetivo de promover o debate e buscar soluções para a crise institucional que o Brasil enfrenta, e coloca em risco a soberania nacional, o encontro abordará as reformas em pauta no país e suas consequências.

O evento tem a realização do Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais (Senge-MG), do Espírito Santo (Senge-ES) e do Rio de Janeiro e da Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge). E conta com o apoio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-Minas) e da Mútua Nacional e da Rede Minas.

Programação

8 de junho 2017

9h - mesa de abertura

9h30 às 12h (Mesa 1): Soberania ou Dependência

João Pedro Stédile – Graduado em Economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, e pós-graduado pela Universidade Nacional Autônoma do México. É membro da direção nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do qual é também um dos fundadores. Participa das atividades da luta pela reforma agrária no país, pelo MST e pela Via Campesina. Atuou como membro da Comissão de Produtores de Uva, dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais do Rio Grande do Sul, na região de Bento Gonçalves. Assessorou a Comissão Pastoral da Terra (CPT) no Rio Grande do Sul e em âmbito nacional. Trabalhou na Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul.

Jorge Rubem Folena de Oliveira – Graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com Mestrado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Doutorado em Ciência Política pelo IUPERJ. Integrou o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda, como representante dos contribuintes (2016). É professor de Ciência Política e Filosofia do Direito na Faculdade de Direito da Universidade Cândido Mendes, Campus Nova Friburgo. É advogado militante, membro efetivo do Instituto dos Advogados do Brasil/IAB e diretor de Direitos Humanos da Casa da América Latina.

Clélio Campolina Diniz – Graduado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Operação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Especialización Desarollo y Planificación pelo Instituto Latinoamericano de Planificacion Económica y Social; mestrado e doutorado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas; e pós-doutorado pela University Of Rutgers. Visiting Fellow da London School of Economics and Political Science. Ex-diretor da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG e do Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BHTEC); ex-coordenador da área de economia e membro do CTC da CAPES. Ex-presidente da Câmara de Ciências Sociais Aplicadas da FAPEMIG . É professor emérito da FACE-UFMG; foi reitor da UFMG (2010/2014) e ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (2014).

Fernando Brito – Jornalista, edita o Blog Tijolaço, assim batizado em homenagem aos textos publicados pelo ex-governador Leonel Brizola, de quem foi assessor de 1982 até a morte do político gaúcho, em 2004. Atuou em O Globo, Tribuna da Imprensa e Última Hora, no final dos anos 70 e início dos 80. Escolhido o Jornalista do ano, em 2015, pelo Blog do Mello.

Coordenação – Raul Otávio da Silva Pereira – Presidente do Senge/MG

14h às 17h (Mesa 2): Trabalho, Demografia e Previdência no Brasil

Antonio Tadeu Ribeiro de Oliveira – Graduado em Estatística pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, com mestrado em Planejamento Urbano e Regional pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, e doutorado em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-doutorando no Departamento de Ecologia Humana e População da Universidade Complutense de Madri. Atualmente é Pesquisador da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Tem experiência na área de Demografia, com ênfase em Componentes da Dinâmica Demográfica, atuando principalmente em migrações internacionais, migração interna e tendência populacional.

Clemente Ganz Lúcio – Sociólogo, graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Paraná e formado em Edificações na Escola Técnica Federal do Paraná. É diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese); membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) e colunista do site Brasil Debate. Foi coordenador da Pastoral da Juventude de Curitiba, da Pastoral da Juventude do Paraná e atuou na Coordenação da Pastoral da Juventude da Região Sul do Brasil. Trabalhou também na Comissão de Justiça e Paz do Paraná.

Ronaldo Lessa – Formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Alagoas, trabalhou em obras como a reforma da Refinaria de Duque de Caxias, do terminal marítimo da Baía de Ilha Grande, do Metrô do Rio de Janeiro e da Ponte Rio-Niterói. Foi presidente da Federação Alagoana de Desporto Universitário (FADU). Político, ex-prefeito de Maceió, ex-governador de Alagoas por dois mandatos, atualmente deputado federal (PDT-AL).

Jô Moraes – Deputada federal eleita para o terceiro mandato por Minas Gerais (2006, 2010 e 2014) e membro do Comitê Central do PCdoB desde 1982. Integra a Comissão Executiva Nacional da legenda. Foi coordenadora da Comissão Pró-Federação de Mulheres de Minas Gerais, presidente fundadora do Movimento Popular da Mulher de Belo Horizonte, coordenadora executiva do Conselho Estadual da Mulher e primeira presidente da União Brasileira de Mulheres. Eleita vereadora de Belo Horizonte em1996 e 2000, atuou nas Comissões de Saúde e de Direitos Humanos da Câmara Municipal. Em 2002, foi eleita deputada estadual, ocupando a vice-liderança do Bloco PT/PCdoB. Na Assembleia Legislativa, integrou a Comissão de Administração Pública e presidiu a Comissão para Assuntos do Mercosul.

Aloísio Lopes – Jornalista e mestre em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro. Atua no Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação/MG, uma articulação de movimentos e entidades da sociedade civil que atuam com vistas a democratizar as comunicações no País desde 1991. Foi primeiro secretário da Fenaj – Federação Nacional de Jornalistas e ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de MG de 2002/2007

Coordenação – Clovis Nascimento – Presidente da Fisenge

As incrições são gratuitas.

Faça já sua inscrição aqui!

 

Mais informações, como participantes de cada mesa e inscrições, serão divulgadas em breve nos sites www.sosbrasilsoberano.org.br, www.sengemg.org.br e www.fisenge.org.br.

Publicado em Notícias

A Fisenge e os sindicatos filiados que representam os engenheiros (as) da Conab realizaram assembleias com a categoria, quando foi aprovada a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para o Acordo Coletivo 2016/2017. A proposta, que decorre da reunião de conciliação ocorrida no dia 16/03 no TST, prevê reajuste dos salários pelo IPCA cheio do período, menos 1%, o que corresponde a 7,97% (8,97%- 1%=7,97%); reajuste dos benefícios sociais de conteúdo econômico pelo IPCA cheio, correspondente a 8,97% e ampliação do auxílio alimentação de 23 para 25 créditos mensais.

O TST já foi informado da deliberação da categoria. A Fisenge e os sindicatos aguardam a manifestação do Tribunal e da empresa para a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho.

Fisenge envia carta à Conab em repúdio ao modo como estão ocorrendo as negociações

Mesmo com a aprovação da proposta pelos engenheiros e engenheiras a Fisenge enviou uma carta de repúdio ao presidente da Conab, Francisco Marcelo Rodrigues Bezerra, na qual ressalta a insatisfação referente às negociações com a companhia quanto ao Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2016/2017 da categoria. O descontentamento se dá em função da forma como as negociações ocorreram, em que houve claramente preferência na resolução de outras questões não ligadas a Engenharia, enquanto as reivindicações da categoria eram sistematicamente negadas. Outro ponto do descontentamento da categoria consiste na negação por parte da Conab da inclusão de duas cláusulas no ACT: a de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e a de Acervo Técnico. Esses itens são relativos à adequação de cláusulas sociais dos engenheiros (as) e visam o cumprimento da legislação específica da categoria.

Tamanha é a insatisfação da classe, que os engenheiros (as) da companhia se mobilizaram e enviaram ofícios à Conab em repúdio à forma como as negociações têm ocorrido, considerada por eles como excludente, preconceituosa e sem isonomia.

A Conab respondeu ao ofício enviado pela Fisenge mantendo os mesmos argumentos utilizados anteriormente para questionar a participação da Federação nas negociações representando os engenheiros (as).

Ainda diante do ofício enviado pela Conab, a Fisenge reitera a sua representatividade quanto à categoria, o que tem se confirmado pelo Judiciário, inclusive com parecer favorável do Ministério Público do Trabalho, conforme divulgado anteriormente.

Publicado em Notícias

O Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais (Senge-MG) foi um dos apoiadores do Encontro Nacional de Estudantes de Engenharia Civil (ENEC 2017), ocorrido nos dias 02 e 05 de maio no Minascentro, em Belo Horizonte. Esta foi a sexta edição do evento, que tem o intuito de promover a integração dos congressistas com regiões, culturas e pessoas, além de ampliar o conhecimento em áreas existentes na Engenharia Civil e nas novas tecnologias.

A equipe do Senge-MG montou um estande no ENEC 2017, onde teve a oportunidade de mostrar seus serviços e benefícios ao público do evento, além de distribuir cartilhas, manuais e materiais informativos. O segundo vice-presidente do Senge-MG, João José Magalhães Soares, fez o encerramento do evento e explanou sobre a importância do movimento jovem para a formação de lideranças ainda durante a graduação e sobre a importância de todos desenvolverem a competência de relacionamento interpessoal para um melhor desenvolvimento profissional. Citou também as experiências bem sucedidas do Senge Jovem e Crea Júnior em Minas Gerais.

Cerca de 2.000 pessoas participaram do ENEC. Esta foi a primeira vez que o evento aconteceu na região Sudeste. O encontro foi organizado por suas entidades de base filiadas e realizado pela Federação Nacional dos Estudantes de Engenharia Civil (Fenec). O Presidente do Crea-MG, Jobson Andrade, participou da abertura do evento.

Publicado em Notícias
Pagina 1 de 13

Reforma Trabalhista