07 Jun 2016

.:. Informativo nº 129 :: 07 de junho de 2016 .:.

Fisenge promove Curso de Formação Política e Sindical

Desafios da conjuntura, elementos de concepção, gestão e planejamento são os temas da edição do Curso de Formação Política e Sindical que a Fisenge promoveu nos dias 3 e 4/6. O formulador é o Prof. Dr. Helder Molina, doutor em Políticas Públicas e Formação Humana e docente da Faculdade de Educação da UERJ. Participarão do curso dirigentes de todos os sindicatos filiados à Fisenge. O principal objetivo deste módulo é conhecer a história do movimento sindical como organização coletiva dos trabalhadores na conquista e defesa de seus direitos no modo de produção capitalista. O Curso de Formação Política e Sindical é uma iniciativa da Fisenge de desenvolvimento contínuo de dirigentes sindicais.

 

Confira materiais de apoio do curso AQUI

 


 

Em artigo e série de vídeos, presidente da Fisenge fala sobre conjuntura política e critica retrocessos na engenharia

“A economia precisa de mudanças profundas como a diminuição urgente da taxa de juros, uma auditoria cidadã da dívida pública, investimento em infraestrutura e o fortalecimento da política de alianças na América Latina. Por outro lado, para a garantia da soberania nacional é essencial o estímulo à produção tecnológica e à engenharia brasileira”. Leia o artigo completo de Clovis Nascimento, engenheiro civil e sanitarista e presidente da Fisenge.

 

Assista também à série de vídeos:

>> Presidente da Fisenge fala sobre a atual conjuntura política no Brasil

>> Os retrocessos e os impactos na engenharia

>> Reforma política para avançar

 


 

Fisenge repudia cultura de estupro

A Fisenge repudia o estupro coletivo a uma jovem de 16 anos, ocorrido no Rio de Janeiro (saiba mais). A cultura do estupro se manifesta em violências físicas e simbólicas, como a naturalização de tais práticas; o questionamento e os ataques à vida pessoal da vítima e a proteção dos agressores. A legislação brasileira, até 2002, não penalizava o estuprador, se ele casasse com a vítima. De acordo com o Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, todos os anos cerca de 50 mil pessoas são estupradas. No entanto, o maior problema é a subnotificação desses crimes, uma vez que as mulheres têm medo e vergonha da denúncia. Leia a nota completa

 

Veja também:

>> Mulheres protestam contra cultura de estupro (via Carta Capital)

>> As vozes da multidão que grita contra a cultura do estupro em São Paulo (via El País Brasil)

>> Ato contra cultura do estupro reúne 5 mil mulheres (via Senge-RJ)

 


 

Por que "negociado sobre o legislado" significa rasgar a CLT?

Maximiliano Garcez, assessor parlamentar da Fisenge, explica o que significam, na prática, os Projetos de Lei 4962/2016 e 4193/2012, que alteram artigos da CLT para permitir que as negociações coletivas aprovem supressões de direitos trabalhistas assegurados em lei. "Negociado sobre legislado quer dizer que tudo o que foi conquistado nas leis brasileiras pode ser rasgado a qualquer momento. Basta o patrão pressionar os trabalhadores, ameaçar de desemprego, ameaçar de fechar uma fábrica, e na prática deixar os trabalhadores de joelhos para aceitar abrir mão de direitos", critica Garcez. Assista ao vídeo

 


 

Em série de entrevistas, Prof. Theotonio dos Santos fala sobre economia e infraestrutura

A ‎Fisenge lançou, no dia 26, uma série de vídeos de entrevistas com o professor e economista Theotonio dos Santos. Coordenador da Cátedra e Rede da UNESCO e da UNU sobre economia global e desenvolvimento sustentável (REGGEN), Theotonio falou sobre economia, desenvolvimento social e infraestrutura. Confira:

 

- Autonomia do Banco Central

Nesse primeiro episódio, o professor fala sobre o papel do Banco Central e a disputa em torno de sua autonomia. Assista aqui

 

- Desigualdade no mundo

A riqueza acumulada pelo 1% mais abastado da população mundial agora equivale, pela primeira vez, à riqueza dos 99% restantes. Essa é a conclusão de um estudo da organização não-governamental britânica Oxfam, baseado em dados do banco Credit Suisse relativos a outubro de 2015. Assista aqui

 

- BRICS e os investimentos em infraestrutura

De acordo com um informe público do Fundo Monetário Internacional (FMI), a China ultrapassou os EUA em termos de riqueza mundial, acumulando pouco mais de 20 trilhões de dólares com previsão de aumento de cerca de 1/3 em cinco anos. A perda de hegemonia de país. Assista aqui

 

- Mudanças na política econômica

As recentes políticas econômicas têm prejudicado o desenvolvimento do país. E quais seriam as mudanças necessárias? Assista aqui

 


 

ARTIGO: A crise política e o emprego dos engenheiros

“Não há teoria econômica que dê sustentação à manutenção de juros e levados por períodos tão longos em uma economia, (sabe-se do poder desorganizador que os juros elevados em longos períodos exercem sobre o processo econômico), inibindo o investimento e o crescimento econômico gerando efeitos inflacionários no longo prazo pela restrição à ampliação do capital produtivo e a redução da renda potencial da economia, além de promover transferência absurda de renda de quem trabalha para quem não trabalha. Os engenheiros, mais do que outras categorias profissionais, têm os seus empregos vinculados ao crescimento da renda nacional, medida pelo valor do PIB, e pela manutenção do nível dos investimentos. A recessão econômica e a redução dos investimentos, principalmente em infraestrutura, repercutem com maior intensidade na demanda por serviços de engenharia e, por consequência, no salário e nos empregos dos engenheiros”. Leia o artigo completo de Valter Fanini, engenheiro civil, vice-presidente do Senge-PR e mestre em Desenvolvimento Econômico pela UFPR. (via Gazeta do Povo)

 


 

Trabalhadores da Eletrobras em todo o país paralisam atividades

Trabalhadores do setor elétrico federal em todo o país paralisaram suas atividades por 24h no último dia 23, em protesto contra o descaso da Eletrobras em negociar o acordo coletivo de trabalho 2016/2017. No dia 19, a diretoria da holding cancelou, pela terceira vez, uma reunião de negociação coletiva. (...) Segundo Gunter Angelkorte, diretor da Fisenge, as paralisações em todo o país mostram que os trabalhadores exigem a negociação imediata. " A empresa alega que está impedida de negociar pelo governo de Michel Temer, alegando que ainda não se sabe quem assumirá o DEST [Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, do Ministério do Planejamento], e mesmo se uma nova diretoria assumirá a Eletrobras. Independentemente da situação política, entendemos que os trabalhadores têm uma data-base e têm o direito de assinar o acordo coletivo", afirmou ele. A data-base dos trabalhadores o setor elétrico federal, isto é, data em que o acordo deveria ter sido assinado, é 1º de maio. Leia mais

 

Veja também:

>> Senge-RJ: Definidas estratégias para negociação após paralisações na Eletrobras Leia mais

 


 

Engenheiros da CBTU vão a dissídio por reajuste

Aconteceu, no último dia 19, a 3ª rodada de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho 2016/2017 dos engenheiros da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Em face da negativa da empresa em conceder reajuste com recomposição das perdas inflacionárias, os engenheiros acompanharão a categoria majoritária da empresa no dissídio coletivo ajuizado no dia 16 (veja aqui). O engenheiro Ricardo Soares, diretor do Senge-MG, representou a Fisenge na reunião. "Apesar de termos cláusulas negadas, ressaltamos a importância da participação da Fisenge na mesa de negociação, uma vitória dos engenheiros. Ajuizaremos junto com a base dos metroviários o dissídio coletivo, acompanharemos o processo e vamos continuar a defender os interesses da categoria", afirmou ele.

 


 

História do Senge-ES celebrada no marco dos 35 anos

O aniversário de 35 anos do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo foi celebrado em todo o mês de maio. No dia 20/5 ocorreu uma solenidade no Auditório do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do ES. A celebração foi marcada pela homenagem a lideranças do movimento sindical dos profissionais de engenharia, agronomia, geografia, geologia e meteorologia do Estado, pelo lançamento da revista que resgata a história do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo, bem como pela palestra “Inovação – O futuro Agora”.  A cerimônia foi pautada ainda por discursos de entidades educacionais e sindicais que possuem relação histórica com o Senge-ES. Leia mais

 


 

Senge-VR: trabalhadores da CSN exigem transparência e resistem a proposta de cortes e reajuste zero

Nesta terça feira, 31/5, foi realizada reunião de Esclarecimento e Negociação entre as Comissões do Sindicato dos Engenheiros de Volta Redonda (Senge-VR) e da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), a fim de discutir e esclarecer a Pauta de Reivindicações enviada pelo sindicato após assembleia dos trabalhadores, realizada no dia 19/4. A empresa apresentou uma série de cortes em benefícios, como cesta básica e adicional noturno, além de reajuste zero. O Senge-VR é terminantemente contra o repasse puro e simples da situação de crise para os trabalhadores. Leia mais

 

Veja também:

>> Senge-MG: CSN oferece reajuste zero e corta benefícios Leia o boletim

 


 

Senge-BA participa da Semana de Engenharia da FTC Feira de Santana

Na noite do dia 19/5, o presidente do Senge Bahia, Ubiratan Félix, participou da 4° Semana de Engenharia Civil da FTC Feira de Santana. O evento durou quatro dias e movimentou o campus da Instituição. Com grande participação dos estudantes, inclusive de outras instituições, o evento, que foi organizado pelos próprios estudantes contou com cerca de 600 participantes ao todo. Leia mais

 


 

Senge-MG: Ato manifesta protesto de servidores pela Carreira de Estado

Os engenheiros, arquitetos, geólogos e geógrafos servidores do Governo do Estado se manifestaram publicamente em frente ao Departamento de Estrada de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG), na manhã da terça-feira, 24 de maio, contra a atitude da Seplag de não dar andamento às reuniões visando a criação da Carreira de Estado. Após o ato, os servidores se reuniram no auditório do DER-MG com os representantes do Senge-MG, da Assender, do Singeo e do Sinarq-MG para alinhar as informações sobre o processo de negociação e discutir estratégias. Leia mais

 

Veja também:

>> Senge-MG integra a chapa vencedora do conselho deliberativo e fiscal da Cemig Saúde Leia mais

>> Senge Jovem de BH realiza doação de roupas Leia mais

>> Assembleia no dia 7 delibera sobre greve dos servidores da Prefeitura de Juiz de Fora Leia mais

 


 

Senge-SE: Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos do Estado - Engenharia contemplada

Após dois anos de intensa negociação e luta, a partir de maio deste ano, será efetivado o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Servidores Estaduais da Administração Direta, Saúde e Engenharia - PCCV. Segundo informações do Governo, mais de 7.700 servidores terão os ganhos liberados. (...) De acordo com o Presidente do SENGE-SE, Carlos Antonio de Magalhães - Magal, a efetivação do PCCV nesta primeira fase para parte do funcionalismo, contemplando a Engenharia, foi uma vitória importante, mas as lutas continuarão até que todos sejam atendidos. "Outras reivindicações já estão na pauta do nosso Sindicato, para negociações em breve. Essa é a função sindical, lutar pelos diretos dos trabalhadores”, completou. Leia mais

 


 

Senge-PR: Semana do Jovem Engenheiro reúne centenas de estudantes em Londrina

 

Centenas de estudantes das mais variadas áreas da engenharia estão reunidos em Londrina na Semana do Jovem Engenheiro para trocar experiências e debater temas estruturais para o desenvolvimento de nossas cidades, estados e País. O evento, promovido pelo Senge Jovem londrinense, que começou ontem e segue até este 1º de junho, teve em sua abertura palestra do presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-PR), engenheiro civil, Joel Krüger, que tratou de Mobilidade Urbana. O tema, inclusive, será ponto central do 4º Seminário Internacional de Acessibilidade (4º SIA), a ser promovido pelo Crea-PR, entre os dias 29 e 30 de junho em Curitiba. Leia mais

 


 

Defasagem do quadro técnico do Emater é tema de reportagem do Jornal do Engenheiro

 

Em março passado venceu a última promessa do governo de nomear os mais de 400 profissionais aprovados em 2014 no concurso do Instituto Emater. O tema ilustra a capa da atual edição do Jornal do Engenheiro (Senge-PR), de junho deste ano, que chegará na casa ou no trabalho dos engenheiros nos próximos dias. Leia mais

 

 


 

Dias Toffoli defere liminar e presidente exonerado da EBC volta ao cargo

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli deferiu, ontem (2), o pedido de liminar ajuizado pelo diretor-presidente exonerado da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Ricardo Melo. Com a decisão, que suspende a portaria presidencial de exoneração, Melo pode reassumir o cargo até o julgamento do mérito do mandado de segurança. (...) Em nota, o Conselho Curador da EBC elogia a decisão do ministro Dias Toffoli. O conselho já havia se posicionado, anteriormente, contrário à exoneração de Ricardo Melo. Leia a matéria completa de Alex Rodrigues para a Agência Brasil.

 


 

Petroleiros indicam greve de 24 horas para 10 de junho

Diante dos ataques contra a Petrobrás, o Pré-Sal e os direitos e conquistas da classe trabalhadora, que estão sendo desmontados pelos golpistas, a FUP e seus sindicatos indicam paralisação de 24 horas no dia 10 de junho. Esta data marcará a primeira grande mobilização nacional que as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizarão contra o governo ilegítimo de Michel Temer. Leia mais (via CUT)

 


 

Escravidão moderna: relatório aponta 45,8 milhões de vítimas em todo o mundo

Foi divulgado nesta terça-feira (31) o relatório sobre escravidão global da Fundação Walk Free, reportando que cerca de 58% do total de pessoas observadas nas mais diversas situações de escravidão moderna estão em apenas cinco países, todos parte do continente asiático: Índia, China, Paquistão, Bangladesh e Uzbequistão. O relatório da Walk Free mostra que nesses países foram encontrados casos de escravidão moderna que vão de exploração sexual comercial até extensas jornadas de trabalho sob coerção. Na Índia, por exemplo, 1,4% da população se encaixa nessas condições, enquanto 51 pessoas em cada 100 estão vulneráveis à escravidão. Leia a reportagem completa de Matheus Moreira para o Brasil de Fato.

 


 

Semana do Meio Ambiente: 70% dos alimentos são produzidos por pequenos agricultores

A agricultura industrial, o desmatamento e a mudança no uso do solo representam 25% das emissões dos gases que causam aquecimento global, segundo dados de 2015 do Grupo de Acción sobre Erosión, Tecnología y Concentracion (ETC). O relatório revela que apenas 30% dos alimentos produzidos pela agricultura industrial chega à população, apesar de usar a maioria das terra, da água e dos combustíveis. Ou seja, 70% da população mundial se alimenta através dos pequenos agricultores. (...) Para Rafael Cruz, coordenador da Campanha de Agricultura do Greenpeace, o Brasil hoje é um dos países com mais força na agroecologia. Leia a reportagem completa de Júlia Dolce para o Brasil de Fato.

 


 

Senado abre enquete para ouvir população sobre franquias de internet

O Senado Federal abriu enquete pública para a população votar se concorda ou não com as franquias de internet fixa, além de opinar sobre o impacto do banimento de aplicativos, como o Whatsapp, por decisão judicial. Vote e divulgue!

 


 

Senge-Rio entrevista a filósofa Marcia Tiburi

O Senge-RJ entrevistou a filósofa Marcia Tiburi, que foi convidada para a última edição do Café & Política. Ela falou sobre atual momento político do Brasil e sobre a manipulação das nossas consciências. Assista ao vídeo

 


 

Livro resgata história das greves no Brasil desde o período militar

O primeiro volume da coleção "Por que cruzamos os braços", intitulado "Greves no Brasil - de 1968 aos dias atuais", traz depoimentos de 12 lideranças sindicais, de diversas categorias profissionais e regiões do país, que protagonizaram importantes movimentos grevistas, a partir do final dos anos 1960. É uma parceria do Dieese com a Editora Cortez e pode ser adquirido pela internet. A coleção terá cinco livros, totalizando 60 depoimentos. É uma leitura importante para quem estuda e reflete sobre as lutas dos trabalhadores por uma sociedade mais justa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.